Darth Otavinho
9 dezembro 2010

Sérgio Dávila (big boss da Folha, abaixo apenas do Otavinho) nos acusou de “capitalizar” com o combo censura + pedido de dinheiro que a Folha nos aplicou em forma de um processo de 88 páginas. Não sei que raio de capitalização é essa que toma tempo, dinheiro e horas de sono, mas beleza. Mas tem suas compensações. No mesmo evento em que ele falou essa bobagem ponderou essa questão vem o Bob Fernandes (editor-chefe do portal Terra) e fala o óbvio, ainda mais em tempos de Wikileaks: para um blogueiro independente se defender do ataque de uma mega-corporação, tem que mobilizar a rede. Caso o moço da Folha não tenha percebido, não temos departamento jurídico, assessoria de imprensa ou rabo preso, então é exatamente isso que estamos fazendo: esperneando e pedindo ajuda pro povo, afinal o ataque atinge a toda internet brasileira. E vamos continuar trombetando, ah se vamos…

4 Comentários

  1. Canela
    15/12/2010

    Por que o presidente não fala da liberdade de imprensa de Cuba? ou os políticos e jornalistas do PT? Muito engraçado essas coisa.

  2. Degas
    13/12/2010

    A Folha tem como chefe o tal do Otávio Frias, que foi autor da medíocre, infantil, ignorante e boçal frase em que dizia que a ditadura que vivemos entre 64/85 foi uma “ditabranda”. Lembram-se disso, não faz muito tempo (2.007 ou 2.008). Então, pessoal, o que mais se espera desse indivíduo e dos puxa-sacos que o cercam? Autoritarismo para essa turma é coisa “branda”, para eles existe o mais e o menos livre, gradações, eles aprenderam muito bem os ensinamentos das cartilhas dos generais. Liberdade, sim, mas breve, lenta, gradual e segura…!!!! Argh, estou ficando arrepiado… SAI FORA, FOLHAAAA…!!!!!!

  3. 13/12/2010

    A Folha censura a informaćão.

  4. Livia Correia
    11/12/2010

    Confira o discurso de Lula sobre a censura ao WikiLeaks
    Presidente diz que prisão de Assange é atentado à liberdade de expressão

    http://www.atarde.com.br/videos/index.jsf?id=5661127

Deixe seu comentário

"Tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura"

Tais Gasparian, advogada da Folha que assina o processo de censura à Falha, sobre a ação que a atriz Juliana Paes moveu contra José Simão em 2009. Dois pesos, duas medidas...

Licença Creative Commons