Darth Otavinho
15 março 2013
Don Odilo fala em deus e Patrícia responde emocionada: "Que assim seja"

Don Odilo fala em deus e Patrícia responde emocionada: “Que assim seja”

 

Por Lino Bocchini

A exemplo de quarta-feira, quando foi eleito o novo papa, o Jornal Nacional de ontem também foi quase todo dedicado ao assunto. Com a íntegra em mãos, planejava contar quantas vezes, em 33 minutos de noticiário, determinadas palavras apareceram. Desisti após o primeiro bloco, quando já se somavam 23 “papas”, sete “Jesus Cristo”, seis “missa” e uma pilha de “cardeais”, “igreja”, “basílica”, “deus”, “cúria”, “senhor” etc. Montei então o roteiro de frases abaixo, todas ditas pelos apresentadores William Bonner (nos estúdios da Globo no Rio) e Patrícia Poeta (no Vaticano) e pelos repórteres da emissora que fizeram a cobertura por lá, na Argentina e em Jerusalém. É bom sublinhar que esse texto nem de longe consegue retratar o que foi essa edição do JN de fato. Tudo o que é descrito a seguir vinha acompanhado da entonação certa, trilha “emocionante”, edição cuidadosa, sorrisos etc. As frases estão em ordem de aparição no programa:

“O primeiro dia do novo papa, a primeira missa”

“Como o papa se tornou conhecido pela simplicidade”

“Um papa matutino”

“Começou impondo um estilo novo ao papado e recusou o carro oficial”

“´Também sou um peregrino´, disse”

“Comportou-se como um padre, quase um pai de família. Nem usou o trono para a homília”

“Tem a simplicidade evangélica de João 23 e o sorriso paterno de João Paulo I”

“O papa Francisco começa a conquistar um certo fascínio que já existia entre os cardeais”

“O colégio de cardeais, num grande e inteligente gesto, em poucas horas mudou o rosto da igreja”

 .

Uchôa se questiona: “De onde vem essa inspiração, esse sentimento de humildade?"

Uchôa se questiona: “De onde vem essa inspiração, esse sentimento de humildade?”

Aí entra ao vivo Don Odilo Scherer, que respondeu a 4 perguntas rápidas. Terminou a última, sobre a “torcida brasileira” a seu favor, dizendo que “os cardeais deveriam escolher aquele que deus indicasse”. E Patrícia, emocionada: “Que assim seja”.

Vem então uma reportagem sobre beatificação de João Paulo 2º: “O papa peregrino, João Paulo 2º, pregou com gestos a humildade … tinha sorriso sereno e cativante … enorme carisma para se comunicar com as multidões… a igreja concluiu sua beatificação, último passo antes de torná-lo santo … O clamor começou logo após sua morte, em abril de 2005. Depois, veio a descoberta do primeiro milagre. A cura de uma freira francesa, que sofria de mal de parkinson”. Sim, amigos. O tal milagre entra dessa forma, como uma notícia banal. E, mesmo em um jornalzinho de faculdade parece-me prudente, tratando-se de um “milagre”, usar um “suposto” ou “segundo a igreja”…

Continuam as frases do JN:

.

“O moderado e humilde Jorge Bergoglio”

“Antes mesmo de se tornar papa, já era conhecido por cultivar hábitos simples”

“Nos primeiros gestos, nas primeiras palavras, já um jeito próximo, natural. ´Irmãos, irmãs, boa noite’. Ali estava não mais o Jorge, mas o Francisco”

“O nome já era um recado, mas era necessário mais. E para esse papa, o mais era o menos. Despojado, sem joias, apenas a batina branca”

“Repare no crucifixo, é de aço, nem mesmo é de prata”

[Deixou que] vários cardeais se apertassem no elevador com ele”

“Preferiu ir de ônibus com os cardeais, deixando o carro especial do pontífice seguir vazio”

“De onde vem essa inspiração, esse sentimento de humildade? Até agora, o próprio papa não falou nada sobre isso”

“Francisco parece já ter definido como prioridade do seu papado a solidariedade para os que mais precisam”

“Ontem ao se despedir do público, dizendo ´boa noite, bom repouso´, parecia um pai que vela pelos filhos. Sua santidade. Santa simplicidade” 

.

Começa um bloco sobre a vida de Bergoglio na Argentina. O JN lembrou rapidamente das críticas mais fortes que pesam sobre o novo papa, seu alegado apoio à ditadura no país vizinho: “Durante a década de 1970, na ditadura argentina, Bergoglio era a principal autoridade eclesiástica do país. Um jornalista o acusou num livro de ter dado informações que levaram à prisão de 2 padres jesuítas, que supostamente teriam ligações com grupos de esquerda. Em sua defesa, Bergoglio disse que há um documento que prova o contrário. Ele pediu a renovação dos vistos de permanência no país de um deles. Já um biógrafo do papa diz que ele agiu secretamente para ajudar a retirar perseguidos políticos da Argentina”. Esse pedaço “crítico” do noticiário durou pouco mais de um minuto, e termina assim: “Papa Francisco tem posição semelhante a de Bento XVI: é contra o uso de preservativos”.

Voltam as frases:

.

“Na terra santa, as pessoas rezaram e se disseram contentes com a escolha de um papa humilde, de nome Francisco”

“Por todo Oriente Médio foi assim: atenções voltadas para o homem de fala suave e olhar sereno”

"Procuramos muito e achamos uma lembrancinha, tá aqui Bonner: ´Habemus Papam Franciscum´"

“Procuramos muito e achamos uma lembrancinha, tá aqui Bonner, to mostrando pra vocês”

“Já que estamos falando de carisma, o que chamou a atenção hoje aqui nas ruas do Vaticano foi o número de fieis tirando fotos, entrando nas lojas e perguntando se tinha um santinho, um terço, uma lembrança do novo papa. Isso horas depois dele ter sido eleito. E quem procurou muito, acabou encontrando. Eu achei, nós procuramos bastante e achamos, tá aqui: “Habemus Papam Franciscum [e mostra um santinho com a cara do argentino]. Tá aqui Bonner, tô mostrando pra vocês”

No bloco final, Patrícia ameaça com um pouco de jornalismo: “Apesar de tanto segredo, a imprensa daqui começa a publicar alguns detalhes do conclave que elegeu o novo papa. De acordo com o que um respeitado vaticanista declarou a um jornal italiano, a primeira votação apresentou o italiano Ângelo Scola, o canadense Mark Ouellet e Jorge Bergoglio com mais votos”. Mas logo desconversa: “Mas isso não importa mais…”.

E segue: 

“Em mais uma demonstração do bom humor que estamos começando a conhecer, o papa brindou com os cardeais que o escolheram” 

Em seguida, recebe os cumprimentos do parceiro de bancada e editor do JN, William Bonner, que encerra assim o Jornal Nacional desse 15 de março:

“Missão cumprida, Patrícia. Para você e para toda nossa equipe que fizeram esse trabalho belíssimo aí no Vaticano, parabéns”.

“Missão cumprida, Patrícia. Parabéns"

“Missão cumprida, Patrícia. Parabéns”

 

17 Comentários

  1. […] Por Lino Bocchini, no blog Desculpe a nossa Falha: […]

  2. Anderson
    26/06/2013

    Esse ódio que vcs sentem pela Igreja Católica é algo demoníaco, mesmo se vcs não acreditam no diabo; odiar a Igreja é odiar Jesus Cristo que é Deus.

  3. 22/03/2013

    Viram ai a obrada do dia 18?

    http://www.youtube.com/watch?v=gbPU4MnY3Sc

    Acho que nem fazem mais o jornal ao vivo justo para evitarem de pegar o Bonner “xingando muito no twitter”.

  4. admin
    19/03/2013

    Salve… “mingau” (?)
    Então… saí da Trip há um mês, em um corte de funcionários. E o Trip FM está na Eldorado há bastante tempo, acho que por volta de uma década. Mas obrigado pela sinformações, eu não sabia.
    Grande abraço, Lino

  5. Eu também tive meu blogue de humor Expobesta “empastelado” por um webmaster da 89 FM – não sei se é só no meu computador pessoal mas o endereço é esse http://expobesta.blogspot.com.br – porque eu questionei a “rebeldia” de um blogueiro da 89 que achou “o máximo” cantar uma música dos Mamonas num culto evangélico. Foi só uma molecagem, mas o cara pensava que era algo “revolucionário”. Aí eu critiquei e ele não gostou.

  6. Liro, eu sei que você é da Trip e a Trip fez parcerias com a tal “rádio rock” 89 FM, mas eu pesquisei muito sobre o background empresarial dela e vi coisas nada agradáveis. Seus algozes hoje são sócios da 89, mas os outros donos já haviam apoiado também a ditadura militar.

    Como eu tenho um compromisso pessoal para daqui a pouco, deixo uma mensagem rápida e indico dois textos para você ler com muita atenção e divulgar para outras pessoas. O caso é grave.

    Continue com esse blogue contra a Folha. Mantenha sua cara e coragem. Estou no lado de vocês. Abraços.

    http://mingaudeaco.blogspot.com.br/2013/03/uol-89-fm-e-relacao-de-seus-donos-com.html

    http://mingaudeaco.blogspot.com.br/2013/02/revista-trip-e-89-fm-saia-justa.html

  7. 18/03/2013

    Laei no http://obroguero.com o que postei. O jornal dos marinhos, completa o trabalho do JN e mostra as garras. É o que vão fazer na eleições. Leiam!

  8. admin
    16/03/2013

    O comentário abaixo não será removido. É bom deixar pra ver como ainda temos um longo caminho pela frente…

  9. thiago
    16/03/2013

    Como as enrustidas são rápidas no gatilho … O texto não fala absolutamente nada sobre gays mas as duas, Eugenia e Oxidoida, se apressaram como ejaculação precoce. Freud explica.

  10. 15/03/2013

    Cuidado com o BONNER.

  11. Pessoa
    15/03/2013

    não só o Jornal Nacional como também a Globonews está na mesma pegada.

  12. oxidoido
    15/03/2013

    Se o Papa e a Igreja seguem um dogma, que não reconhece a união de gays, porque os gays que dizem não se importar com a igreja ficam tão revoltados??? O Brasil é o maior país católico do mundo e por isso não vejo problema em uma empresa privada dar ênfase ao assunto. Vamos parar com essa mania de perseguição! Enquanto isso ninguém comenta sobre o Hugo Chavez de cera né??

  13. 15/03/2013

    Isso é que é a tal PAPAGAIADA.

    E o Bonner com cara de diácono rindo pra Patrícia. Eles não se bicam.

  14. paulo
    15/03/2013

    Globo deu a barrigada do ano ao apostar no picolé de chuchu Scherer…

  15. Rody
    15/03/2013

    de Pau a pior

  16. EUGENIO COSTA
    15/03/2013

    INTERESSANTE QUE O PAPA E CONTRA GAYs, E A GLOBO TEM DIVULGADO CONDENACOES AS PESSOAS QUE ASSIM O FAZEM, E AGORA VAMOS CONDENAR O FRANCISCO?

  17. H.92
    15/03/2013

    Tanta comoção, só no JN mesmo…

    Credo. rs

Deixe seu comentário

"Tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura"

Tais Gasparian, advogada da Folha que assina o processo de censura à Falha, sobre a ação que a atriz Juliana Paes moveu contra José Simão em 2009. Dois pesos, duas medidas...

Licença Creative Commons