Darth Otavinho
22 dezembro 2010

Condenação no site oficial da entidade, em francês e português.


E aí Barão de Limeira? E aí pessoal das outras redações? Vão seguir fingindo que nada tá acontecendo?

Folha de S. Paulo se engrandeceria desistindo da ação judicial contra um blog satírico independente

Um mês após seu lançamento, o blog independente Falha de S. Paulo, que parodiava o maior diário do Brasil, a Folha de S. Paulo, enfrenta um processo aberto pelo diário por “uso indevido de marca”, devido à semelhança entre os dois nomes e ao logotipo do blog.

Não satisfeito depois de ter conseguido o encerramento do site, o jornal iniciou um novo processo contra seus autores e reclama agora uma indenização financeira por danos morais. No entanto, parece pouco provável que o mais importante diário do país possa efetivamente ser lesado por um blog independente.

O blog, gerido por Lino e Mário Ito Bocchini, troçava sobretudo da insistência com que o jornal atacava Dilma Rousseff, candidata vitoriosa da última eleição presidencial e chefe de Estado a partir de 1 de Janeiro de 2011. Como lembram os dois irmãos no seu site: “A internet teve peso inédito na campanha eleitoral, que terminou com a vitória da candidata de Lula (Dilma Rousseff). A atuação de centenas de blogs foi especialmente importante porque, em sua maioria, eles apoiaram a candidata de esquerda (Dilma Rousseff) e, por outro lado, praticamente toda a mídia convencional (rádio, TVs, jornais e revistas) defendeu fortemente o candidato de oposição, José Serra.”

A família Frias, proprietária do jornal, dispõe de meios para pagar as despesas do processo. O mesmo não sucede com os irmãos Bocchini (um é jornalista e o outro designer), que poderão se ver, devido à ação judicial, em graves dificuldades financeiras. Eles não têm possibilidades de se defenderem eficazmente desse processo, totalmente ignorado pela mídia tradicional, controlada por um punhado de famílias influentes.

Essas ações, que procuram asfixiar financeiramente um meio de comunicação, ilustram uma nova forma de censura. O desfecho desse caso poderia constituir um precedente perigoso em matéria de direito à caricatura, parte integrante da liberdade de expressão e de opinião. É por esse motivo que solicitamos à direção da  Folha de S. Paulo que renuncie a esse combate desigual e desista do processo contra o blog dos irmãos Bocchini. Esse gesto contribuiria para a reputação do diário, que mostraria assim seu apego à livre circulação das ideias, opiniões e críticas, garantidas pela Constituição Federal de 1988. A mídia deve aceitar estar exposta à crítica pública como qualquer outro poder ou instituição.

Os dois irmãos já criaram um site alternativo: http://desculpeanossafalha.com.br. Várias personalidades, entre as quais o ex Ministro da Cultura Gilberto Gil, gravaram mensagens de vídeo em que condenam a censura e o processo aberto pela Folha.


12 Comentários

  1. […] parecidos demais com os originais. Acontece que para toda blogosfera nacional, para organização Repórteres sem Fronteiras, pro relator da ONU para a liberdade de expressão, para o Financial Times e outros veículos […]

  2. […] pela blogosfera nacional e entidades como a FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), a Repórteres sem Fronteiras ou a relatoria especial da ONU para a Liberdade de Expressão. Não foi levado em consideração […]

  3. […] pela blogosfera nacional e entidades como a FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), a Repórteres sem Fronteiras ou a relatoria especial da ONU para a Liberdade de Expressão. Não foi levado em consideração o […]

  4. […] censura velada imposta ao FAlha mobilizou a blogosfera nacional, Repórteres sem Fronteiras, o relator da ONU, Financial Times (e outros veículos mundo afora), deputados federais, o ativista […]

  5. […] parecidos demais com os originais. Acontece que para toda blogosfera nacional, para organização Repórteres sem Fronteiras, pro relator da ONU para a liberdade de expressão, para o Financial Times e outros veículos […]

  6. […] parecidos demais com os originais. Acontece que para toda blogosfera nacional, para organização Repórteres sem Fronteiras, pro relator da ONU para a liberdade de expressão, para o Financial Times e outros veículos […]

  7. […] nacional, pela ombudsman do jornal que paga seus honorários, por entidades internacionais como a Repórteres Sem Fronteiras, por ativistas brasileiros (como Gilberto Gil) e internacionais (como Julian Assange), pela mídia […]

  8. […] do Futuro”… Produzimos novos textos falando do apoio de Julian Assange e da organização Repórteres sem Fronteiras em inglês e espanhol. Temos ainda resumos do caso em francês, italiano, alemão e holandês […]

  9. […] FOLHA DO SEU PAULO ou FOLHA DE S. PEDRO? TweetMuita gente pergunta (até o chefe do jurídico da Folha fingindo que não sabe a resposta): “Por que vocês simplesmente não mudam o nome do site e pronto?”. Simples: porque a Folha nos proibiu. O “Falha de S.Paulo” foi cassado, mas a proibição da liminar é a de “uso indevido da marca”. E há também uma segunda liminar emitida a pedido do jornal, essa contra o Registro.br (que gerencia os endereços eletrônicos brasileiros), que nos proíbe de “usar, gozar e dispor da marca da autora ou de derivação dela“. Difícil algo mais impreciso e passível de nterpretações diversas do que “uso indevido” e “derivações”. E no final das contas o entendimento que interessa é o do juiz, e caso ele entenda que não respeitamos sua decisão, a multa é de R$ 100 por dia. Logo, não podemos arriscar. Ou seja: trata-se sim de uma censura da Folha. E o que é mais feio, por sufocamento financeiro, exatamente o que acusou a organização Repórteres semFronteiras. […]

  10. […] a censura do jornal, fora entidades e publicações internacionais, como Wired, Financial Times, Repórteres sem Fronteiras e Julian Assange. Caso tenha tempo e paciência, tente achar alguma manifestação a favor do […]

  11. […] se defenderem de forma eficaz no processo – agora a organização Repórteres Sem Fronteiras pede à Folha que retire a ação judicial. A mesma RSF que é exaltada pela “grande mídia” quando critica a Venezuela, agora é […]

  12. 22/12/2010

    Fantástico! Quando até o Repórter sem Fronteiras, que tem uma tradição liberal, coloca-se contra a pressão indevida dos Frias é porque a Folha está realmente sozinha. Engrandeça-se, Folha!

Deixe seu comentário

"Tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura"

Tais Gasparian, advogada da Folha que assina o processo de censura à Falha, sobre a ação que a atriz Juliana Paes moveu contra José Simão em 2009. Dois pesos, duas medidas...

Licença Creative Commons