Darth Otavinho
14 dezembro 2012
lino mario e frank

Os irmãos Mario e Lino Bocchini com o relator da ONU (fotos: Fora do Eixo)

 “A ironia é uma forma de expressão legítima. Não entendo porque a Folha de S. Paulo se incomodou”. A frase é de Frank La Rue, relator especial da ONU para a Liberdade de Expressão. Durante sua visita ao Brasil, o diplomata das Nações Unidas esteve ontem em São Paulo, onde encontrou-se com entidades e pessoas que foram lhe apresentar casos de violações ao direito básico da liberdade de expressão que estejam acontecendo no Brasil. Entre os casos apresentados no auditório do Sindicato dos Engenheiros, estava o da censura promovida pelo jornal Folha de S. Paulo contra o blog independente Falha de S. Paulo.

Os irmãos criadores do blog (Mário e Lino Bocchini), que estão sendo processados pelo jornal, entregaram ao relator documentação em espanhol e inglês explicando os detalhes do caso, inédito no Brasil. Lino também apresentou o caso oralmente, e la Rue fez diversas perguntas e comentários ao final. “É interessante esse uso da ironia ironia que vocês fizeram usando as palavras Folha e Falha. Uma das formas de manifestação mais combatidas hoje em dia, e que deve ser defendida, é o jornalismo irônico”. O guatemalteco lembrou ainda que o jornal norte-americano The New York Times já sofreu sátiras semelhantes à Falha, como a feita pelo site Not New York Times e nunca acionou judicialmente seus críticos. “É o mais lógico”, avaliou. Com os detalhes do caso da censura promovida pela Folha em mãos, agora Frank la Rue agora verá quais medidas pode tomar.

Em sua apresentação, Lino lembrou que a Folha, em sua ação contra ele e seu irmão, usa o argumento de que estariam fazendo um “uso indevido da marca”, por que o logotipo e o nome do site seriam parecidos. Eles afirmam no processo que o leitor da Folha poderia se confundir, ao entrar na antiga Falha (hoje censurada) achando que era o site oficial do jornal . “Vocês acreditam mesmo que um leitor da Folha ao entrar em um site com uma fotomontagem misturando o dono do jornal, Otavio Frias Filho, com o personagem Darth Vader, acharia que é o site oficial da Folha? Isso é um desrespeito à inteligência do próprio leitor”, afirmou Lino em sua apresentação ao relator da ONU.

“O processo contra jornalistas é uma forma de censurá-los”

A Falha surgiu em outubro de 2010, para criticar a hipocrisia do jornal, que se diz imparcial mas faz um jornalismo partidarizado, com preferências políticas claras. “Essa história de uso indevido da marca é só uma desculpa. Eles ficaram incomodados, sim, foi com nossa crítica contundente”, afirmou Bocchini. Os irmãos censurados pela Foilha frisaram ainda ao relator da ONU que a entrada das Nações Unidas no caso nesse momento é especialmente bem-vinda, já que a batalha jurídica está entrando em 2ª instância e só caso será analisado pelos desembargadores do Tribunal de Justiça a qualquer momento.

frank-la-rue_1

Lino Bocchini apresenta o caso da censura promovida pela Folha ao relator da ONU

“O processo judicial é uma forma de limitar o trabalho de jornalistas, de censurá-los”, avaliou o membro das Nações Unidas. “Ainda que não haja condenação, mover uma ação na Justiça já é uma agressão econômica, porque implica em gastos com advogados e defesa”. O relator classificou ainda como “grave” o fato de haverem “dois níveis” de liberdade de expressão: a dos grandes veículos, que é respeitada, e a dos meios independentes e alternativos, que sofrem restrições. E completou: “a liberdade de expressão, como todos os direitos humanos, deve ser universal”.

 **********************

PS: convidamos os defensores da real liberdade de expressão a divulgarem esse encontro e as manifestações do relator. E, quem tiver contatos na imprensa fora do Brasil, também pode ajudar. É muito importante: aqui a carta em espanhol. E aqui a versão em inglês.

5 Comentários

  1. […] e entidades como a FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), a Repórteres sem Fronteiras ou a relatoria especial da ONU para a Liberdade de Expressão. Não foi levado em consideração o apoio à Falha explicitado por 15 deputados federais de […]

  2. […] censura velada imposta ao FAlha mobilizou a blogosfera nacional, Repórteres sem Fronteiras, o relator da ONU, Financial Times (e outros veículos mundo afora), deputados federais, o ativista Julian Assange […]

  3. […] Acontece que para toda blogosfera nacional, para a organização Repórteres sem Fronteiras, pro relator da ONU para a liberdade de expressão, para o Financial Times e outros veículos internacionais de peso, […]

  4. […] Acontece que para toda blogosfera nacional, para organização Repórteres sem Fronteiras, pro relator da ONU para a liberdade de expressão, para o Financial Times e outros veículos internacionais de peso, […]

  5. […] Acontece que para toda blogosfera nacional, para organização Repórteres sem Fronteiras, pro relator da ONU para a liberdade de expressão, para o Financial Times e outros veículos internacionais de peso, […]

Deixe seu comentário

"Tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura"

Tais Gasparian, advogada da Folha que assina o processo de censura à Falha, sobre a ação que a atriz Juliana Paes moveu contra José Simão em 2009. Dois pesos, duas medidas...

Licença Creative Commons