Darth Otavinho
15 Maio 2011

Sim, 4 mil pessoas. Pelo menos. Explico o número. O ato de ontem em Higienópolis teve 4 momentos: concentração na praça Villaboim, encontro na frente do shopping Higienópolis, caminhada na avenida Angélica e aglomeração final na frente do Pão de Açúcar, na esquina das ruas Sergipe e Angélica, onde seria a estação de metrô combatida por parte da população do bairro –e apoiada pelo movimento de ontem. Esses 4 momentos, juntos, duraram pelo menos 6 horas (entre 14h e 20h). Em nenhum minuto dessas 6 horas o ato ficou esvaziado. Conheço algumas pessoas que só foram na Villaboim, porque tinham compromissos ou moravam perto. Outros tantos não se animaram a seguir andando até a Angélica e foram pra casa do shopping. Muitos ficaram pouco no local da estação, tinham outros compromissos ou já estavam cansados. Por outro lado, muita gente, ao saber pela internet, telefonemas ou SMS que o ato estava legal, chegou mais tarde, quando o povo já estava no Pão de Açúcar. Tinha muita gente ’nova ’, moradores inclusive, aparecendo pro churrascão quando já era noite.

Aqui era só o começo da concentração no shopping

Com esses dados na mão, conversei com amigos jornalistas acostumados a cobrir manifestações dos mais variados tipos. A conclusão é unânime. Em português claro, ali não tinham só 600 pessoas, como diz a PM, NEM FUDENDO. Vale lembrar que a Folha só divulga números da PM. E os outros jornais falaram em cerca de mil pessoas mas, mesmo assim, não participaram do churrasco de ontem só mil pessoas NEM FUDENDO.

Tradicionalmente a Policia Militar joga os números reais de participantes (muito) pra baixo. E seus palpites sempre são um chute, não há critério científico algum. Aliás é bom lembrar que a única vez em que houve algum critério científico na aferição de pessoas em eventos no Brasil foi nos comícios das Diretas Já, quando eram feitas fotos aéreas, calculados o números de pessoas por metro quadrado e a renovação de público X números de horas de duração do evento, entre outros fatores. Hoje em dia, é tudo chute puro. E palpite por palpite, me desculpem, mas confio mais no meu e no dos meus amigos jornalistas do que no da PM ou no de outros jornalistas –mal-humorados. Enfim, levando-se em consideração os fatores do começo do texto (4 momentos, duração etc) as estimativas de participantes, feitas por quem esteve lá o dia todo e já esteve em dezenas de manifestações, giraram entre 3 e 5 mil pessoas. Fechei então na média, 4 mil pessoas no Churrascão da Gente Diferenciada.

Aqui o povo subindo a Angélica, quando muita gente já tinha ido embora, e muita gente nem tinha chegado ainda. Foram só 600 pessoas ao longo do dia todo. Ã-hã..

.

IMPORTANTE, EMOCIONANTE E INÉDITO

O Churrasco de ontem foi IMPORTANTE porque trata de duas das questões centrais nessa cidade: primeiro a absurda falta de transporte público, principalmente metrô (isso sem falar no absurdo da passagem de ônibus a 3 reais) e segundo tocou na ferida do preconceito contra pobre por boa parte da população não-pobre, especialmente em bairros mais tradicionais como Higienópolis (cidade da higiene, em latim). Pior, há um enorme preconceito contra metrô e transporte público em geral, como se só pobre precisasse de metrô…

Por essas e outras levei alguns cartazes prontos (e cartolinas em branco, muito bem preenchidas pelo pessoal) para, de forma bem-humorada, denunciarmos o preconceito do bairro. A ideia era  “representar a associação de moradores”. O cartaz que mais apareceu em fotos e TV dizia “Só ando de metrô em NY, Londres e Paris”. Mas o meu favorito, que mais sorrisos amarelos de vizinhos causou ao longo do dia, é criação do genial Edson Monteiro, amigo de quase duas décadas, que dizia: “Minha empregada que venha a pé!! ”. VEJA GALERIA NO PÉ DO POST.

O churrasco de ontem foi EMOCIONANTE por vários motivos. Por provar que uma mobilização da Internet pode chegar as ruas; por juntar ricos e pobres em torno de uma causa nobre como o metro; pela civilidade absoluta dos participantes, moradores e policia; pelo bom humor; pela ocupação do espaço público… enfim, só quem esteve lá pra saber do que estou falando… foi demais.

O churrasco de ontem foi INÉDITO principalmente porque não tinha nenhuma liderança. Ninguém comandava aquilo. A CET chegou pra mim e um amigo no começo da noite e perguntou quem era o organizador, queria negociar o desimpedimento da avenida Angelica. “Não tem organizador, e por isso é legal”, respondemos. “Legal pra vocês”, respondeu o homem, indo embora. Nenhum partido político ou sindicato estava lá. Pequenos grupos de outros movimentos (passe livre, bicicletada, etc) compareceram, mas ninguém comandou o ato. Ninguém era de ninguém no melhor dos sentidos. Foi a coisa mais espontânea e bonita que eu já vi em Sao Paulo. Tomara que tenham muitos outros como esse, por muitos outros motivos, e que sejam atos igualmente livres e sem liderança. E igualmente importantes e emocionantes.

.

 

Esse cartaz saiu até na Globo (SPTV)

.

.

 

O momento da criação que causaou a ira de alguns moradores...

.

.

 

.

 

 

 

“Metrô em Higienópolis só com entrada social e de serviço”

.

Adoro o colega Fernando Barros e Silva (de vermelho, ao fundo), na mesma foto que eu com a camiseta da fAlha. Enfim, foi um ato plural

27 Comentários

  1. Mark – My recommendation is that you ignore people who have nothing to contribute to the conversation except for trash talking and name calling. You can’t reason with them, you’ll never outshout them, so just let them bang on their highchair and shout to themselves. A fire starved of oxygen soon expires.

  2. […] Churrasco da Gente Diferenciada e a Marcha da Liberdade – uma reação amplificada da proibida Marcha da Maconha que […]

  3. 09/03/2017

    Hey, that’s a clever way of thniikng about it.

  4. […] Churrasco da Gente Diferenciada e a Marcha da Liberdade – uma reação amplificada da proibida Marcha da Maconha que trouxe […]

  5. […] the event attracted a crowd of between 200 (according to the mainstream media) and more than 4,000 (according to the blogosphere) people. Here are some of the more “different” videos and photos produced by citizen […]

  6. […] the event attracted a crowd of between 200 (according to the mainstream media) and more than 4,000 (according to the blogosphere) people. Here are some of the more “different” videos and photos produced by citizen […]

  7. […] em vídeos e fotos. Estima-se que o evento atraiu entre 200 (segundo a imprensa) e mais de 4 mil (segundo a blogosfera) […]

  8. 18/05/2011

    Fico muito contente por descobrir essa forma de manifestação. Sou professor do Centro Paula Souza e estamos cansados de ver o governo investindo na desqualificação de nossa instituição de ensino público. Não dá mais para ficar calados. Vamos nos manifestar na sexta 20/5 e espero que façamos um grande churrasco como esse!!!

  9. […] O “desculpe a Nossa Falha” fez um relato muito bacana sobre o Churrascão da Gente diferenciada. Texto simples, sem muita enrolação, emocionado de quem esteve lá. Vale muito a leitura: “Churrasco da Gente Diferenciada reúne 4 mil pessoas em Higienópolis e é ato inédito no Br… […]

  10. Mortago
    16/05/2011

    O simples fato de não ter nenhum grupo político-partidário e movimentos correlatos querendo “assumir a paternidade” do ato já garante sua importância e legitimidade.

    Ainda que devagar, nossa sociedade começa a aprender a se mobilizar.

  11. Fernanda
    16/05/2011

    Fantástico!!! A ironia, a manifestação, a organização, o site e os cartazes!!
    Vamo trazer isso pra Brasília?

    “Queime um índio/pobre/garçon na parada de ônibus, e ganhe um passeio no lago Paranoá!”

    “Só morro queimado se for dormindo na sala de embarque do aeroporto JK, e sem milhas!!”

  12. Tiago
    16/05/2011

    Pq ninguém me chamou???
    Iria adorar particpar, até ajudava a preparar o churrasco.

  13. Zé Cantor
    16/05/2011

    (Admirável Gado Novo – 1980)

    Vocês que fazem parte dessa massa
    Que passa nos projetos do futuro
    É duro tanto ter que caminhar
    E dar muito mais do que receber…
    E ter que demonstrar sua coragem
    À margem do que possa parecer
    E ver que toda essa engrenagem
    Já sente a ferrugem lhe comer…

    Êeeeeh! Oh! Oh!
    Vida de gado
    Povo marcado, Êh!
    Povo feliz!…(2x)
    .
    .
    .

  14. Rafael
    15/05/2011

    Que horror. Como ignorante gosta de se juntar para fazer barulho… Pobre povo de Higienópolis.

  15. Cassio Rodrigues
    15/05/2011
  16. antonia almeida barros
    15/05/2011

    O que acham de darmos o nome de “ESTAÇÃO GENTE DIFERENCIADA”, a esta estação de metrô?

  17. 15/05/2011

    Cara, foi legal. Participei. Mas nao foi inedito nao.

    Ja tinha acontecido coisa parecida no RJ ha alguns anos. Soh que la nao teve imprensa:

    Deu 3mil pessoas numa quarta a tarde em plena cinelandia apos denuncias de irregularidades nas eleicoes de 2008

    http://www.youtube.com/watch?v=ohIiB4d1gJA&feature=related

  18. Carol
    15/05/2011

    Muito boa a matéria!
    Discordo da comemoração por haverem partidos nem sindicatos por lá, acho que seria ótimo que eles estivessem, não pra dirigir nada, mas pra apoiar. Como, aliás, fez o Sindicato dos Metroviários. Eles não dirigiram nada, mas estavam lá com uma faixinha. (E também seria o cúmulo se não estivessem!)
    Foi de fato muito emocionante.
    Espero que esse tipo de manifestação se repita. Eu estarei lá!
    Beijos diferenciados.

  19. 15/05/2011

    Devo dizer que esperei ouvir algo na TV, não ouvi bolufas, fico feliz de ler enfim uma matéria decente sobre o ato.

  20. João Paulo Labeda
    15/05/2011

    Eis uma das poucas matérias que retratam de forma clara, correta e justa tudo o que foi…

    Quem me dera se um dia nossa midia fosse assim…

  21. […] Do Desculpe a nossa Falha […]

  22. carolina alonso
    15/05/2011

    Suas palavras mostram para quem não foi, exatamente oque aconteceu na tarde-noite deste sábado. Fiquei muito feliz com o resultado do ato e dessa mobilização que começou pela internet ( assim como em outros países que derrubaram ditadores do poder ). ”Tomara que tenham muitos outros como esse, por muitos outros motivos, e que sejam atos igualmente livres e sem liderança. E igualmente importantes e emocionantes.” Faço destas tuas palavras as minhas!
    Parabéns pelo texto e à todos que fizeram desse ato, algo inesquecível!
    Abraços;

  23. Roseleia Rosa
    15/05/2011

    Ótimo texto. Parabéns!

  24. 15/05/2011

    […] que esse churrascão sinaliza um descontentamento muito mais amplo do que a estação Angélica. O alvo do muito bem […]

  25. renan
    15/05/2011

    “Basta de carro 1.0 em Higienópolis” foi o que eu mais ri 😀
    kkkkkkk

  26. João Paulo Labeda
    15/05/2011

    Agora sim uma matéria honesta e precisa…

    Não essas porcarias de IG, FOLHA, E GLOBO…

    600 pessoas… rsrsrs “NEM FUDENDO” KKKKKK

Deixe seu comentário

"Tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura"

Tais Gasparian, advogada da Folha que assina o processo de censura à Falha, sobre a ação que a atriz Juliana Paes moveu contra José Simão em 2009. Dois pesos, duas medidas...

Licença Creative Commons