Darth Otavinho

Posts Tagged ‘falhadespaulo’

25 janeiro 2011

Por Lino Bocchini

O que o ministro da Educação Fernando Haddad, o economista Márcio Pochmann, o urbanista Jorge Wilheim, o ativista Sérgio Amadeu, o empresário Alexandre Youssef, João Sayad e alguns dos melhores quadros políticos do PT e do PC do B, como Rui Falcão, Carlos Zarattini, Nádia Campeão, Arlindo Chinaglia e Paulo Teixeira tinham em comum? Todos integravam o governo Marta Suplicy, que assumiu a Prefeitura em 2001, logo após oito anos da hecatombe Maluf-Pitta. Também estive nesse barco. Foram, aliás, os únicos 4 anos de minha vida em que trabalhei com política –os outros 13 foram no mercado, no Grupo Folha, Abril etc. Foi o suficiente para eu ser taxado/desqualificado como “petista” pro resto da vida, inclusive e principalmente agora, nessa polêmica Folha X Falha.

Como se um filiado ao PT (o que não é meu caso) não pudesse criticar um jornal ou pensar por si só, mas tudo bem, segue o texto. O aniversário de São Paulo é uma boa oportunidade de lembrar a melhor administração municipal que já tivemos. Acompanhei bem de perto o trabalho dessa turma citada aí em cima. Eu trabalhava no Banespinha, a poucos metros da sala de Marta, ao lado do secretário de Governo Rui Falcão, com quem todo dia cedinho eu fazia uma análise diária do noticiário do dia e elaborava um pequeno relatório comentado para o primeiro escalão municipal. Conversava com praticamente todos os secretários, presidentes de estatais, coordenadores e subprefeitos pelo menos uma vez por mês, sempre em busca dos melhores argumentos para rebater as nem sempre construtivas críticas –e a saraivada de bobagens e maldades– que a dita “grande imprensa” despejava na nossa cabeça sem trégua.

É difícil descrever o estado em que pegamos a prefeitura. Era um oceano de corrupção e desorganização, uma completa desestruturação de cada setor, gente contratada irregularmente e funcionários fantasmas em tudo que é canto… daria pra descrever por páginas esse caos, mas deixa pra outra. Lembro claramente que não tinha dinheiro pra nada. Nada mesmo. O orçamento médio anual da gestão Marta foi de pouco mais de R$ 10 bilhões. Começou com menos do que isso e terminou por volta de 13 bi. Mesmo assim, o orçamento municipal de São Paulo sempre foi o terceiro maior do país, atrás apenas da União e do Estado de São Paulo. Supera o quanto estados como Rio ou Minas têm para investir anualmente, por exemplo.

Da saudosa FAlha de S.Paulo, o flagra do comício final de Serra: Alberto Goldman, Otavinho Frias, Bárbara Gancia, Serra, Dimenstein, Alckmin e Gilmar Mendes

Listo apenas algumas das conquistas do governo Marta que (ainda bem) não têm volta: Bilhete Único; fim dos perueiros; dezenas de quilômetros de novos corredores de ônibus; CEUs; telecentros com internet gratuita; isenção de IPTU para um milhão de moradias; subprefeituras; Plano Diretor. E mais uma série de “detalhes” que fazem toda a diferença para uma cidade pulsante como São Paulo. Por exemplo: enquanto Kassab manda cobrir de tinta cinza os grafites dos Gêmeos, artistas respeitados em todo mundo, Alê Youssef, à frente da coordenadoria da juventude, conseguia novos espaços na cidade para a arte de rua, o skate, o rap e tantas outras novas manifestações.

Marta tinha uma espécie de “loucura benéfica”, e ainda um “pé na Europa” bastante positivo. Era “louca” o suficiente para bancar a construção de 20 Centros de Educação Unificados nas periferia, todos com piscinas olímpicas, teatros modernos, bibliotecas e telecentros, mesmo sob uma chuva de críticas – mas vai hoje lá no Itaim Paulista ou na Brasilândia e pergunta se a vida do povo melhorou ou não. Marta era “européia” o suficiente para não ter pudor em conversar com prefeituras do mundo todo, fechando acordos com Buenos Aires, Paris e quem mais aparecesse pela frente com boas ideias. Enfim, tinha a cabeça moderna de quem samba em cima de um trio elétrico toda Parada Gay sem parecer forçado por um único minuto. Era perfeita? Claro que não, mas era, em minha modesta opinião, de longe a melhor prefeita que já tivemos.

E o bundão do Kassab?

Após uma eleição trágica em 2004, marcada por erros do próprio PT e pelo tremendo machismo dos eleitores homens e mulheres em relação à separação de Marta –que largou Suplicy, um santo, para ficar com um gringo bonitão–, estamos agora em meio a oito anos de Serra/Kassab.

Isso que vou falar agora não é exagero: Kassab, essa cria maldita de Serra, tem em suas mãos quase TRÊS VEZES MAIS DINHEIRO (mais de 30 bilhões/ano) do que Marta tinha. agora pense um minuto: você acha que a Prefeitura, hoje, faz 3 vezes mais coisas do que antes, seja que coisas forem? Tudo bem, vamos dar uma colher de chá: você acha que Kassab fez metade do que Marta fez? Onde está esse dinheiro? Aceitando a hipótese de que ninguém esteja roubando, a grana está parada no banco, rendendo juros para banqueiro. Por quê raios não investir isso no que quer que seja, sendo que a cidade é tão absurdamente carente de tudo?? Deve ser por conta da famigerada “responsabilidade fiscal” e a “boa gestão” demo-tucana. Não aguento essa turma que encara a administração pública como a gestão de uma empresa privada. Ideia de jerico. Como “lucrar e reduzir gastos” com saúde ou educação pública, por exemplo?

Não dá para achar que “o prefeito da cidade tem que ser um síndico”. Não é nada disso. O prefeito de uma metrópole como São Paulo tem que ousar, buscar e lançar tendências mundiais, incansavelmente procurar soluções inovadoras, se cercar de um monte de gente boa de tudo que é canto. Não tem que declarar, na maior cara lavada, “que vai chamar um por um todos os antigos aliados do Serra que não foram aproveitados por Alckmin”. E aí tome um bando de ex-prefeito de cidade do interior virando subprefeito de bairros paulistanos onde nunca pisaram.

Também da antiga Falha: Alckmin, ainda um vereador de Pindamonhangaba, já era amigo de Dimenstein

Não dá mais para avaliarmos se um governante, ainda mais de São Paulo, é bom ou não exclusivamente pela qualidade do asfalto por onde você passa de carro todo dia. Não dá mais para acharmos que a “nova Marginal” foi uma boa obra, sendo que ontem, 24 de janeiro, o rio Tietê transbordou pela 2ª vez depois de não sei quantos anos, afinal reduziu-se drasticamente a área permeável à sua volta e foram cortadas milhares de árvores. O saldo dessa obra estúpida, em português claro: bilhões em gastos, mais enchentes e um trânsito igualmente péssimo.

Chega de acreditar que a cidade alaga por culpa de São Pedro. Se fosse isso mesmo, então para combater as enchentes deveríamos fazer o quê? Um protesto em frente a Catedral da Sé? Mandar uma menção de repúdio ao santo para o Vaticano?

São Paulo é moderna, vibrante. É pra cá que todo mundo vem pra ganhar dinheiro ou “acontecer”. Tem a Liberdade, a rua Augusta, Oscar Freire, a avenida Paulista e o parque do Ibirapuera. Aqui estão alguns dos melhores restaurantes do mundo (acabei de voltar de um coreano incrível, a pé), e os mais incríveis serviços 24 horas do mundo. É uma cidade em que é mais fácil você ser o que quiser, seja gay, junkie, careta, evangélico, nerd, workaholic ou o que for, sem que ninguém te encha o saco. Por isso mesmo não dá pra termos uma trinca careta, incompetente e limitada como Alckmin, Serra e Kassab atrasando nossa vida por tantos anos e acharmos que tudo bem.

20 janeiro 2011

O convite simpático que o pessoal da rede Liberdade fez

Na última quinta-feira, diretamente da muvuca da Campus Party, entramos num vídeo-chat com o genial Zé de Abreu (@realjosedeabreu). Foi uma puta honra ter um dos nomes mais bacanas da esquerda-progressismo-TV-anticaretismo do Brasil papeando conosco e mais dezenas de convidados por mais de DUAS horas. E, depois que ele teve que sair, o ótimo Bemvindo Sequeira (@Bemvindo_ator) ainda segurou o tchan por mias unma horinha. Muito obrigado ao pessoal da Rede Liberdade pelo convite e pela organização.

Para quem tiver paciência, abaixo o vídeo da parte que contou com o Zé de Abreu.

Debate Liberdade de Expressão com Lino Bocchini do Falha de S.Paulo na Rede Liberdade from Chiko Penha on Vimeo.

20 janeiro 2011

"Se fosse no meu tempo eu não permitiria essa palhaçada da Folha"

O último imperador do Brasil garantiu a plena liberdade de imprensa e expressão durante o tempo que governou nosso país. Quem ensina é o historiador membro da ABL José Murilo de Carvalho em seu livro “D. Pedro II”, lançado em 2007 pela Cia. das Letras. Afirma o autor: “Nunca o Brasil desfrutou de tanta liberdade de expressão quanto no Segundo Reinado. Até mesmo injúrias ao monarca eram publicadas, não admitindo ele que fossem punidas ou que os jornais que as divulgavam fossem processados ou fechados. O imperador defendia a liberdade de imprensa por convicção e não por conveniência”. Enquanto isso, o povo do jurídico da Folha ainda não chegou ao século XIX…



* Valeu pela dica, @pedroparanagua

18 janeiro 2011

Muita gente lá fora já noticiou a censura da Folha contra a Falha, uma vez que o entendimento geral é o de que está se abrindo um precedente inédito contra a liberdade de expressão no Brasil — e justo pelo autoproclamnado “Jornal do Futuro”… Produzimos novos textos falando do apoio de Julian Assange e da organização Repórteres sem Fronteiras em inglês e espanhol. Temos ainda resumos do caso em francês, italiano, alemão e holandês (bandeirinhas-links no alto da página), além do vídeo de Gilberto Gil perguntando por que a Folha não processa Caetano Veloso (que muito usou o termo “Falha de S.Paulo) com legendas em inglês e em francês.

AGORA VAMOS LÁ: PERCA UNS MINUTOS, ACHE UM CONTATO DE UMA PUBLICAÇÃO GRINGA BACANA E ENVIE OS TEXTOS! VALE BLOG ITALIANO, JORNAL ARGENTINO, REVISTA ALEMÃ… O QUE FOR MAIS FÁCIL PRA VOCÊ! MANDE TAMBÉM PARA AQUELE AMIGO OU PARENTE QUE MORA FORA, E PEÇA PARA ELE ENCAMINHAR PARA O JORNAL/BLOG/REVISTA LOCAL. PRECISAMOS DA AJUDA DE TODO PARA A BAIXARIA DA FOLHA CONTINUAR A CORRER O MUNDO! MUITO OBRIGADO!



Vamos espalhar a notícia da censura da Folha pra tudo que é canto, em tudo que é língua! E na hora de se aliviar pessoal, já sabem: bombardeia a Barão de Limeira, 425!


_______________________________________________________

 

GLOBAL VOICES ADVOCACY E ARTIGO 19 CONDENAM PROCESSO

A organização Artigo XIX, que defende a liberdade de expressão em mais de 10 países, entrou na briga, condenando a Folha e apoiando a Falha. Sua posição, em inglês, está no Global Voices Advocacy. Bóra espalhar pros amigos gringos!

18 janeiro 2011

Justin Bieber na verdade seria um pedófilo de 50 anos. Uma das centenas de sátiras do The Onion que são levadas na esportiva por celebridades e empresas

The Onion é um fenômeno nos EUA. Precursor dos diversos sites de notícias falsas que têm por aí, já enganou jornais mundo afora ao afirmar, por exemplo, que Justin Bieber, na verdade, era um pedófilo de 51 anos disfarçado com uma máscara de borracha, entre outros absurdos.  Hoje a Folha publica um texto sobre o Onion e seu criador, Marc Liberman, que conta como o site já brincou com centenas de políticos e celebridades, enganou uma renca de sites, jornais e revistas mundo afora e que, apesar de tudo isso, NUNCA FOI PROCESSADO. The Onion não imita outro site ou jornal, mas vive de fazer “uso indevido da imagem” de corporações, políticos e celebridades. Liberman explica porque todo mundo que é alvo de suas paródias reage com bom humor e nunca vai aos tribunais: “é prestigioso ser satirizado”. Quando será que gente como Taís Gasparian ou Serginho “Freedom of Speech” Dávila vão concordar com tal obviedade?

16 janeiro 2011

Muita gente pergunta (até o chefe do jurídico da Folha, fingindo que não sabe a resposta): “Por que vocês simplesmente não mudam o nome do site e pronto?”. Simples: porque a Folha nos proibiu. O “Falha de S.Paulo” foi cassado, mas a proibição da liminar é a de “uso indevido da marca”. E há também uma segunda liminar emitida a pedido do jornal, essa contra o Registro.br (que gerencia os endereços eletrônicos brasileiros), que nos proíbe de “usar, gozar e dispor da marca da autora ou de derivação dela“. Difícil algo mais impreciso e passível de nterpretações diversas do que “uso indevido” e “derivações”. E no final das contas o entendimento que interessa é o do juiz, e caso ele entenda que não respeitamos sua decisão, a multa é de R$ 1000 por dia. Logo, não podemos arriscar. Ou seja: trata-se sim de uma censura da Folha. E o que é mais feio, por sufocamento financeiro, exatamente o que acusou a organização Repórteres semFronteiras.

MAS vamos ao que interessa. Recebemos algumas idéias MUITO BOAS de possíveis nomes para um novo site. A seguir algumas das nossas preferidas. Qual a melhor? Que outra você sugere?


TROLHA DE S.PAULO  (originalmente usada pelo Casseta & Planeta)

FOLHA DE SUM PAULO

FOLHA DO SEU PAULO

FOLHA DE SÃO PEDRO

OTAVINHO NEWS

PULHA DE S.PAULO

ROLHA DE SÃO PAULO (recebemos a sugestão sem o H também)

FILHA DE S.PAULO

ESTRAGO DE SÃO PAULO (ser processado por um jornalão já tá bom)

FÔIA DE S.PAULO

FOLHA DE S. PAULO PRETO (via @sound3vision)



FALA, SÃO PAULO: "Faz 80 anos que esse pessoal da Barão de Limeira faz uso indevido da minha marca e eu nunca reclamei. Mas espera chegar o dia do juízo final..."




Previous
Next

"Tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura"

Tais Gasparian, advogada da Folha que assina o processo de censura à Falha, sobre a ação que a atriz Juliana Paes moveu contra José Simão em 2009. Dois pesos, duas medidas...

Licença Creative Commons