Darth Otavinho
13 janeiro 2011

Moreno, nosso cão militante, reflete sobre a questão

As entidades que estavam no ato pró-WikiLeaks (que acabou virando também um ato pró-Falha) que aconteceu mês passado em São Paulo lançaram um abaixo-assinado. A redação é de João Brant, do excelente Intervozes, e o abaixo-assinado denuncia três atentados à liberdade de expresão e à livre circulação de ideias –ameaças ao WikiLeaks, a censura da Falha e ao CMI, o Centro de Mídia Independente. Para ler o breve texto e assinar a petição, clique aqui.

Sobre a Falha, o abaixo-assinado diz: No Brasil, a mesma Folha de S. Paulo que exalta a liberdade e tem acesso pleno aos documentos sigilosos da diplomacia norte-americana sobre o Brasil mantém um processo contra o FALHA de S.Paulo, um site de paródia à Folha de S.Paulo que tinha fotomontagens, críticas rápidas e bem-humoradas ao noticiário deles. O jornal processou os dois cidadãos que mantinham voluntariamente o site por “uso indevido da marca” e pede indenização em dinheiro. Enquanto a mesma Folha defende o direito de praticar o humor contra personalidades, ela busca calar quem a critica usando a legislação de propriedade intelectual. Trata-se de uma inaceitável censura ao direito de qualquer um criticar os erros da mídia.

2 Comentários

  1. jota junior
    15/01/2011

    e´ a folha processando a falha? já já não vou poder limpar meus fundos com a folha por danos morais a cagada.

  2. Carlos Dias
    14/01/2011

    Lamentável a tentativa da Folha de SP.
    Isso é censura mesmo.

Deixe seu comentário

"Tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura"

Tais Gasparian, advogada da Folha que assina o processo de censura à Falha, sobre a ação que a atriz Juliana Paes moveu contra José Simão em 2009. Dois pesos, duas medidas...

Licença Creative Commons